Slime

Observação: por se tratar de uma especialidade que mexe com produtos químicos, tomar todas as precauções necessárias para não ingerir os produtos.

  1. Relatar como surgiu, quando e quem é o criador do slime.
  2. Explicar como fazer 1 (um) slime e quais são os ingredientes utilizados.
  3. Citar 10 (dez) tipos de slimes e suas características.
  4. Fabricar no mínimo 3 (três) tipos de slimes diferentes, mostrando fotos e/ou vídeos que comprovem.
  5. Ensinar, no mínimo 10 (dez) pessoas, a fazer 1 (um) slime.
  6. Apresentar, no mínimo, 3 (três) manobras com slime.
  7. Fazer uma exposição com seus slimes, com pelo menos 5 (cinco) tipos diferentes. Não esquecer de descrever as características de cada um, e contar o porquê do seu interesse por slime.
  8. Demonstrar quais os cuidados para manutenção dos slimes.
  9. Fazer uma entrevista, com mínimo 10 (dez) perguntas, com 1 (um) especialista em slime.

Alerta para riscos de intoxicação de crianças devido à fabricação de slime

“A manipulação de produtos químicos para a fabricação caseira de slime (massinha) é potencialmente perigosa e traz risco de intoxicação”.

RISCOS – Diversos malefícios podem ser associados ao uso inadvertido de substâncias potencialmente tóxicas. Entre os principais sintomas relatados nesses casos, estão as irritações na pele, respostas alérgicas e eventualmente lesões de mucosa, se houver contato com os olhos ou boca.

Além disso, a absorção de compostos do elemento Boro – bórax, ácido bórico, borato de sódio –, por longo tempo e repetidamente, pode causar prejuízos severos ao organismo, como problemas neurológicos e renais. Caso seja ingerido, o ácido bórico concentrado pode inclusive desencadear quadros sistêmicos graves.

“Os pais também devem estar atentos a quaisquer alterações gastrointestinais – como náuseas e vômitos –, além de irritações de pele, dores abdominais e cefaleia. Se a criança apresentar esses sintomas, é importante procurar assistência médica com urgência, levando a lista dos produtos químicos que a criança manuseou”.

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria


Versão: Julho/2020
Proponente(s): Mariah Miranda Borth
Avaliador(es): Lia Kaori Nishizawa

Níveis da Especialidade
Nível I 3 itens
Nível II 6 itens
Nível III 9 itens

O jovem tem a liberdade de escolher quaisquer itens para a conquista do nível que desejar, não sendo obrigatório seguir a ordem da numeração dos mesmos.

Skip to content